segunda-feira, 19 de maio de 2014

Nesta Copa eu torço pelo Brasil

Eu não gosto de futebol, nunca gostei. Lembro de na última Copa do Mundo, de tão entediado que estava com um jogo que tentei assistir, comecei foi a ler um livro de frente para a TV. Mas a minha torcida hoje é que essa Copa no Brasil dê certo. Mesmo que eu não assista nenhum dos jogos, não use camiseta oficial da seleção e nem perturbe a vizinhança com fogos e vuvuzela, torço pelo sucesso do evento. Torço, pois gosto do Brasil e quero que ele, o país, saia sempre ganhando.

Não sei se é por não gostar de futebol, mas eu nunca fui a favor da Copa ser realizada aqui. Quando Lula apareceu todo animado com a escolha do Brasil eu, mesmo sendo eleitor e apoiador de seu governo, logo questionei os gastos com o evento. Questionei no momento em que esses gastos deviam ser questionados, que era quando estavam apenas previstos. Lembro que nessa época éramos eu e uns poucos gatos pingados que se opunham a esse “empreendimento”. O resto das pessoas ou estava comemorando o fato ou simplesmente ignorava como ignora praticamente tudo o que o poder público faz em todas as suas instâncias.

Estranha-me que certos indignados só tenham aparecido depois que os gastos foram feitos tanto pelo Governo Federal quanto pelos governos locais (aliados ou não de Brasília). Foi só do ano passado pra cá, quando chegamos próximos do período eleitoral que começaram a surgir as reclamações, os protestos e as “declarações bombásticas” de certas celebridades, que de uma hora para outra descobriram que o Brasil tem problemas sociais não resolvidos. 

Esses problemas que de repente todo mundo começou a notar que existem estão aqui desde muito antes da paixão brasileira por futebol, que é quase tão antiga quanto o próprio esporte. Mas para os neo-indignados é como se esses problemas — especialmente a corrupção — tivessem sido inventados na última década. O que querem vender como indignação, pra mim é puro e simples oportunismo e com um objetivo muito claro, desestabilizar o país para com isso impedir a reeleição de Dilma Rouseff.

Todo mundo sabe que tanto faz a Copa no Brasil ser um sucesso ou um total fiasco, o dinheiro que já foi gasto ou comprometido jamais será devolvido. A única coisa que realmente pode acontecer fruto dessa onda de neo-indignação — para alegria dos oportunistas e falso consolo dos bobos que os seguem — é o PT se desgastar e perder a eleição, e ter que devolver a Presidência para aqueles que em alguns séculos não conseguiram (até porque nunca quiseram) fazer o que os governos petistas vem fazendo nesses pouco mais de 10 anos.

É por isso que esse ano eu sou um torcedor. Mesmo que talvez nem assista nenhum jogo estarei torcendo pelo meu país, muito mais interessado na vitória fora do campo do que dentro dele. Estarei torcendo para que a Copa enquanto evento tão caro que nos saiu, dê certo — mesmo que tenha sido um erro trazê-la pra cá —, pois apesar de todos os erros que cometeu em uma década de governo, o PT é o melhor time que temos com condições de jogo. E como se diz no futebol, em time que está ganhando não se mexe. 

Que tenhamos Copa!

0 comentários:

Postar um comentário

Comente com o Facebook: