segunda-feira, 14 de maio de 2018

Meditação Guiada com Elinaudo Barbosa

Estou mais uma vez oferecendo minha técnica de Meditação Guiada para grupos e também para atendimento individual. Espaços holísticos e afins, eventos relacionados ao autoconhecimento e desenvolvimento pessoal e e também pessoas interessadas na produção dos atendimentos e vivências podem entrar em contato por e-mail elinaudo@gmail.com ou pelo formulário de contato à esquerda desta página.


Vamos meditar?

Já atuo com meditação há 10 anos e estudo e pratico há mais de 20, tendo desenvolvido minha própria técnica guiada que já ajudou várias pessoas a meditar, tanto em grupos quanto em sessões individuais. Passei um tempo sem oferecer ao público e nesse período eu aproveitei para analisar e refinar a técnica, tornando-a ao mesmo tempo mais simples e mais profunda, de modo a proporcionar uma experiência ainda melhor para aqueles a quem vou guiar. Agora estou de volta e à disposição dos interessados em viver essa experiência ou levá-la para o seu público.

Meditar é muito bom!

A meditação é uma prática que traz benefício para qualquer pessoa, desde um buscador espiritual que quer se aprofundar em seu caminho, seja alguém que leva uma vida completamente convencional. Em um mundo de tantos estímulos visuais e sonoros e rotinas de trabalho estressantes, meditar é uma forma de acalmar a mente e o corpo, propiciando paz e equilíbrio para o praticante, além de potencializar sua capacidade de realização, uma vez que ajuda na centralidade e no foco.

A Meditação Guiada é indicada para quem tem dificuldade para acalma a mente e meditar sozinho. Através da técnica guiada também é possível realizar visualizações de desejos e sonhos e jornadas interiores de autoconhecimento que ajudam a entender traumas, bloqueios e crenças limitadoras. Com o tempo o praticante da meditação guiada aprenderá a meditar sozinho, incorporando assim uma prática que o ajudará durante toda a vida.

Como comecei a meditar

Como já disse em outro post, soube da meditação ainda na adolescência através dos filmes de artes marciais que naquele tempo sempre enfatizavam a figura do mestre, um velhinho oriental  que ensinavam mais do que luta, ensinavam sobre equilíbrio, controle das emoções e sempre tinha algo de meditação. Passei a pesquisar sobre o tema e a praticar as técnicas que ia aprendendo, até passar a desenvolver meu próprio sistema, ainda apenas para mim.

Depois vieram os estudos de temas holísticos, a iniciação em Reiki e os atendimentos com terapia holística. Durante as sessões percebi que a meditação ajudava e comecei intuitivamente a guiar quem não sabia ou não conseguia meditar, trazendo ótimos resultados. Depois vieram os grupos e a minha técnica antes de uso pessoal agora estava adaptada para guiar outras pessoas, individual e coletivamente.


Meditação guiada em uma das Vivencias Meditativas que realizei juntamente com a Régia da Costa entre 2011 e 2013

Um processo intuitivo

Eu sou desde sempre um autodidata, algo incomum na cultura brasileira. Como faço em todas as áreas que me interesso, conduzi meus estudos sobre meditação sozinho e fui aprendendo e desenvolvendo aos poucos ao longo dos anos. O resultado foi uma técnica fluída e sutil, que terá um caminho único a cada sessão, usando os recursos que forem necessários no momento para que a pessoa ou grupo possa aprofundar ao máximo sua experiência.

Vamos meditar?

Elinaudo Barbosa

sábado, 17 de fevereiro de 2018

O fantástico superpoder de abrir portas

De ontem para hoje eu tive um sonho interessante em que eu ganhava um superpoder. Um sonho nada incomum para quem está tão mergulhado no universo dos super-heróis, criando tanto personagens quanto histórias em quadrinhos, mas o superpoder que eu ganhei era um tanto inusitado: eu podia abrir qualquer porta bastando dar um leve empurrão com a mão.

Tenho o superpoder de entrar e sair de onde eu quiser

Nesse sonho havia algum acontecimento que não consigo lembrar e alguns colegas do tempo de escola ganhavam superpoderes. Uns podiam voar, outros tinham superforça, enfim, os poderes clássicos de super-heróis. Eu só ganhava o poder de abrir portas. Em um dado momento eu até reclamava comigo mesmo por ter ganho um poder tão simples. Mas quando acordei e fiquei relembrando o sonho, foi que caiu a ficha do quanto esse poder é fantástico!

Aí comecei a me lembrar de quantos lugares eu entrei apenas dando um empurrãozinho na porta. Lembrei das muitas pessoas interessantes que conheci, de quantos lugares legais eu já fui e de tantas coisas que aprendi acessando portas que se mostravam fechadas, mas um leve empurrão as abriu, me permitindo acessar vários "universos" diferentes e encontrar tantas boas oportunidades como as que encontrei.

Lembrei que eu já tenho esse superpoder, que já nasci com ele e já fiz uso dele muitas vezes na vida real.

E sabe o que é melhor?

Você também tem esse superpoder!


Eu, você e todos nós temos o superpoder de abrir portas, só que a maioria não percebe ou tem medo de usá-lo. Todas as portas do mundo podem ser abertas e a maioria delas não precisa de muito esforço para empurrar, mas assim como para os poderes do Superman, para esse também existe uma kriptonita, que são as crenças limitadoras, aquelas que dizem que determinado lugar não é para você ou está fora do seu alcance.

Eu felizmente fui educado por uma mulher sábia. Minha mãe me ensinou que não existe essa de "tal lugar não é para mim". Todos os lugares podem ser acessados, cabe a mim e a cada um de nós escolher bem os lugares que quer frequentar, escolher bem as portas que quer abrir, ir lá e entrar. Simples assim.

Portas para entrar e também para sair

No meu sonho eu tive dois momentos, um onde eu entrava em lugares para, como um bom super-herói, investigar algo que estava acontecendo, e outro onde eu tinha que sair de lá para não ser pego pelos vilões da história, então eu usava meu superpoder para sair e ainda salvava alguém levando essa pessoa para passar por várias portas comigo.

Muitas vezes na vida nos vemos presos em situações das quais imaginamos não haver saída, quando bastaria abir uma porta e escapar. Empregos ruins, relacionamentos desgastados, empreendimentos que não vão mais a lugar nenhum e até mesmo crenças que já não fazem nenhum sentido, todos são lugares ruins com portas de saída, basta você encontrá-las e empurrar, que elas irão abrir.

Toda situação tem pelo menos uma porta de saída

Livre-se da "kriptonita"

Existem crenças limitadoras tanto para impedir você de querer entrar em novos lugares quanto para lhe segurar em ambientes e situações onde você não deseja estar. As que lhe impedem de ir atrás do novo são do ripo que mencionei acima, onde a ideia central é a de que você não é digno, não tem direito, não está preparado e não será aceito. Tudo balela. Sua dignidade é determinada pela sua autoestima, preparo é questão de estudar e se capacitar e acetação é questão de saber como cada ambiente funciona para poder se encaixar nele. Cuide da sua autoestima, busque aprender sempre e as portas se abrirão para você entrar onde quiser.

De outro lado temos as crenças que lhe impedem de sair de onde está. Elas costumam estar associadas ao medo de perder algo, de ficar sem nada, de que as coisas fiquem piores do que já estão. Também tem a ver com autoestima baixa, onde você acredita que só é digno daquilo ali mesmo e se tentar algo melhor vai quebrar a cara.

Em ambos os casos eleve sua autoestima, encare o medo do desconhecido e siga no rumo do que lhe faz bem. Busque ajuda se precisar, mas jamais desista ou se acomode aonde não lhe faz bem. Afinal de contas, o único lugar que "não é pra você" é aquele que lhe causa sofrimento.

Coloque-se em movimento

No meu sonho eu não sabia quantas portas tinha pela frente, apenas sabia tanto par onde queria ir quanto de onde queria sair, e seguia em frente. Cada porta que aparecia eu empurrara, passava e logo outra surgia à minha frente. Assim eu ia seguindo, me livrando dos vilões e cumprindo minha missão de super-herói.

Na vida real é do mesmo jeito. Para encontrar as portas você não precisa saber quantas são nem onde exatamente elas estão. Você apenas tem que se colocar em movimento e o Universo providenciará as portas pelas quais você irá passar. Comece a andar e as portas das oportunidades surgirão na sua frente, lhe levando aos lugares que lhe trarão realização, paz de espírito, prosperidade e tudo o mais que você deseja de bom.

A felicidade está no caminhar

Talvez você esteja se perguntando agora se esse negócio de porta depois de porta vai chegar em algum lugar, porque até agora o Einaudo só falou de passar em porta pra sair, passar em porta pra entrar, depois vem mais uma porta e nunca disse se chegou aonde queria. Bom, o Elinaudo já saiu várias vezes de onde não queria estar e já chegou várias vezes onde queria chegar, só que a vida segue em frente. Onde eu queria estar ontem pode não ser mais onde quero estar hoje, então vou na porta de saída, que também me dará acesso ao novo lugar onde quero ir. Passei 20 e tantos anos no movimento ambiental, até que quis sair. Resolvi que queria entrar no mundo dos quadrinhos de super-heróis e cá estou eu entrando de porta adentro.

A vida é esse andar e passar por portas, é avançar passo a passo, é aprender a curtir a viagem e a se alegrar com cada desafio. A vida é movimento. Então a dica-bônus do Super-Elinaudo, o herói que abre portas é: aprenda a apreciar a viagem, pois é dela que se trata a vida!

Enquanto tiver portas para abrir você tem vida para viver

Então, meu caro super-herói, minha cara super-heroína, pegue sua capa e vá viver sua aventura.

Para a frente e avante!


Elinaudo Barbosa
quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

Meu pequeno "retiro" de Carnaval

Aproveitei o Carnaval para fazer um pequeno retiro. Nada de lugar distante e isolado, apenas fiquei quieto em casa para sentir e pensar a vida. Já fazia dias que vinha sentindo tendinite e isso, mais do que um cansaço por desenhar bastante, era uma mensagem interna de que eu precisava parar. Eu tenho essa dificuldade de me permitir parar e não fazer nada, então tem hora que o corpo cobra. Foram quatro dias de quietude, tendo apenas a chuva, a rede e os três gatos como companhia. (Régia está uns dias na casa da mãe e levou a Bolotinha junto).

Meditar na rede é bem melhor que na posição de lótus!

Um assunto em particular dominou a minha pausa meditativa, a minha inclinação para a área do desenvolvimento pessoal. Há anos eu flerto com essa área, sempre publicando alguma coisa, já tendo algumas vezes até oferecido serviços de consultoria pessoal, mas nunca me decidindo realmente por me manter atuando. Como esse assunto não me sai da mente, usei o "retiro" de Carnaval para pensar no porque de nunca realmente ter fincado o pé e também para me perguntar se eu me sinto capaz e se quero mesmo trabalhar com isso.

Identificando resistências

Como diz meu amigo Alberto Soares, este país é a terra do urubu de diploma, de modo que quem atua em áreas de consultoria repete o mesmo texto clichê em sua apresentação, que começa sempre com a expressão "formado em", seguida de coisas como "morei no Himalaia por um ano" ou "fundei uma start-up no Vale do Silício". Como eu sou um autodidata que nunca saiu do Brasil, esse sempre foi um certo calcanhar de aquiles para o meu marketing. Talvez isso tenha pesado inconscientemente para que eu nunca tenha de fato investido em uma área que sempre me atraiu. Até tentei uma vez, quando quis fazer um trabalho com um enfoque mais espiritual, mas parei por concluir que esse caminho mais sutil não era a minha. De lá pra cá fiquei ensaiando voltar a essa área com uma abordagem mais "mundana", só que nunca realmente votei.

Porém, tirando esse pequeno detalhe faltante na parede, o fato é que sim, me sinto capaz e preparado para falar de desenvolvimento pessoal. Comecei aos 15 anos de idade a ser o confidente e conselheiro dos meus amigos enquanto devorava livros em minha busca voraz por entender a alma humana. Nunca parei de estudar e nunca parei de conversar com as pessoas e ajuda-las a pensar sobre suas vidas, já tendo guiado e orientado um bocado de gente a acertar seus caminhos. Além disso, na fase mais espiritual eu aprofundei meus estudos e minha minha própria busca, aprendendo e desenvolvendo competências na área das energias sutis. Então eu tenho sim bastante a dizer e coisas boas a fazer.

Um outro obstáculo interno que encontrei foi a sensação de que se eu me dedicar a um projeto nessa área de desenvolvimento pessoal (eu costumo ir fundo quando me dedico a algo) pode acabar comprometendo o meu maior projeto no momento e do qual não quero me desfazer por nada: os quadrinhos. Em 2015, quando comecei a EB Comics, me deparei com uma grande paixão, que a cada dia se demonstra mais como um amor longo e duradouro, tal qual foram os 20 e poucos anos de ambientalismo. Porém minha multiplicidade me faz sempre ter outros interesses paralelamente e sempre querer fazer outras coisas concomitantemente. Eu quero portanto trabalhar também com desenvolvimento pessoal, mas sem perder de vista meu projeto de longo prazo para a EB Comics. Ou seja: me trabalhando para tirar essa sensação de que um projeto pode atrapalhar o outro e organizando bem o tempo, dá para os dois fluírem perfeitamente.

Das coisas que gosto de fazer além de desenhar

Além de ter o que dizer eu quero dizer. Eu gosto de dizer! Gosto de expressar meus pensamentos, de falar de minhas visões sobre o mundo e fico imensamente feliz quando sei que algo que eu falei ou escrevi ajudou alguém. Sem falar que adoro palestrar, sou bom escrevendo e também gostei das experiências que tive com vídeo no ano passado. Ah, e tenho uma boa experiência com mídias sociais, o que me confere a capacidade de fazer posts bons e bonitos.

Já até dei palestra sobre mídias sociais. Sou bom nisso também. E modesto!


E gosto de ajudar as pessoas. Gosto tanto que já me frustrei bastante no passado tentando aconselhar pessoas que não queriam ajuda ou que não estavam preparadas para receber ajuda. Guiar e ajudar sempre foram parte importante da minha natureza, portanto eu sempre terei o impulso de fazer isso. Nada melhor então do que faze-lo de forma organizada e planejada, voltado apenas para aquelas pessoas que querem e que estão preparadas para receber.

Assim, após ponderar sobre todos esses aspectos, a decisão ao final do meu "retiro" confirma o que eu já tinha aventado no post de retrospectiva: vou meter a cara em mais esse desafio!

Segue o bonde

Como eu já vinha postando alguma coisa nas minhas redes desde a virada do ano, vou dar continuidade, dividindo sempre espaço com os posts onde falo dos quadrinhos. Algo mais elaborado como um site, vídeos para o Youtube etc. virão na sequência, sem muita pressa. O bonde segue, mas segue pianinho :)


Elinaudo Barbosa
quarta-feira, 3 de janeiro de 2018

Como emagreci 12 kg em 3 meses sem dieta e sem exercícios

Nos é ensinado ao longo da vida que as coisas boas só vem com sofrimento e sacrifício, como é o caso de emagrecer, desejo de praticamente todo ser humano hoje em dia, mas que todos acham que só é possível com dieta severa e muito "treino" na academia. Pois em 2017 eu pude provar pra mim mesmo que isso não é uma verdade absoluta. Emagreci rapidamente e sem sofrimento usando um método que desenvolvi intuitivamente anos atrás e que recentemente dei o nome de Autorreprogramação.

As minhas fotos do período mostram bem a mudança que obtive com a Autorreprogramação em apenas 3 meses. A primeira foi em junho quando eu gravava um dos vídeos para o canal do Sinergia Social no Youtube. A segunda fui feita em setembro, quando participei de um workshop sobre mídias sociais. A camiseta vermelha é a mesma nas duas imagens.

12 kg a menos em 3 meses (fotos: Juliana Siqueira (esquerda) e Aírton Lima Jr.)

Na hora em que decidi, emagreci

É verdade que eu nunca liguei muito para a forma física e sempre detestei fazer exercícios, principalmente em academia, mas é verdade também que meus quilinhos a mais vinham me incomodando. Só que, como não era exatamente uma prioridade, eu ia deixando pra depois. Apenas dizia pra mim mesmo (e pra quem me sugeria fazer exercícios) que na hora que resolvesse, emagreceria.

Porém, em meados do ano passado duas coisas me fizeram sair da inércia e partir para a ação. A primeira, ainda em abril, foi quando eu me vi no primeiro vídeo que gravei para o canal do Sinergia e detestei a imagem de perfil logo na cena que abre o vídeo, mostrando claramente minha barriga avantajada. A segunda, e definitiva, foi uma dor incômoda na minha perna esquerda, que foi machucada em um acidente nos anos 1990 e não estava aguentando tantos quilos pesando sobre ela (cheguei a improvisar uma bengala um dia pra ir numa reunião). Então era emagrecer ou passar a andar de bengala e nunca gravar vídeos de perfil!

Decidi emagrecer, mas do meu jeito

Resolvi emagrecer, mas não queria fazer isso trocando um sofrimento por outro. Não queria me privar de poder comer o que gosto e muito menos ter que ir parar numa academia. Então resolvi aplicar mais uma vez o mesmo método que havia criado intuitivamente anos atrás e usado, por exemplo, para reposicionar minha coluna, pondo fim a umas dores horríveis que sentia na época.

Comecei a fazer o processo em junho, mês do meu aniversário, e em setembro ultrapassei a meta desejada. Tinha imaginado diminuir inicialmente 10 quilos e acabei eliminando 12. Continuei comendo o que gosto mas mudei a forma como como e fiz pequenos ajustes na postura, favorecendo a tonificação dos músculos abdominais, tudo isso passando várias horas sentado desenhando.

A esse processo, que me ajudou a mais uma vez fazer uma importante mudança em mim mesmo, decidi dar o nome de Autorreprogramação.


O que é e como funciona a Autorreprogramação

A Autorreprogramação é um processo de mudança de padrão de comportamento mental e físico feito de maneira totalmente consciente em basicamente três etapas simples. Primeiro eu identifico o problema ou determino algo que quero mudar. Em seguida crio uma ideia-chave e passo a trabalhar com ela nas situações do dia-a-dia relacionadas àquela questão onde quero promover a mudança. Quando a mudança se torna perceptível vem o acompanhamento e reforço até que aquele novo padrão se automatize totalmente.

Diferentemente de outros métodos, onde a mudança comportamental é feita a partir de repetições forçadas de coisas que o corpo e/ou a mente não querem de verdade fazer, ou de processos em que o inconsciente é usado como meio de indução, na Autorreprogramação, corpo e mente consciente trabalham em parceria, sem sofrimentos ou imposições desagradáveis.

O segredo está na elaboração da ideia-chave, que tem que fazer total sentido pra mim. É com ela que vou estabelecer uma conversa interior que vai convencer de forma amigável tanto minha mente quanto meu corpo a se comportarem de maneira diferente. Como isso é feito de uma forma agradável e baseada em ideias que fazem sentido pra mim, o inconsciente facilmente assimila e automatiza aquele novo padrão de comportamento, fazendo com que rapidamente eu passe a ser um novo eu em relação àquele ponto que eu quis mudar.


A chave é a ideia-chave :)

Foi o que ocorreu na minha relação com a comida, me ajudando a emagrecer; foi o que ocorreu lá atrás na minha completa mudança de postura física, o que me livrou de problemas na coluna; e foi o que ocorreu em algumas outras ocasiões em que usei o método, como na época em que abandonei balas e refrigerantes e até hoje não sinto a menor falta desses sabores em minha boca.

O bom é que agora você também pode se autorrepogramar

Durante anos usei esse processo só para mim mesmo sem nem comentar com ninguém sobre a existência dele. Recentemente, porém. comecei a falar a respeito, contando dos efeitos que tinha obtido e aqui e ali alguém me perguntava como era e se eu tinha como ensinar ou aplicar, mas eram poucas pessoas e eu também não estava priorizando isso.

Mas quando decidi usar a Autorreprogramação para emagrecer e comecei a falar que tinha conseguido, o número de interessados aumentou consideravelmente, então decidi sistematizar e criei um método de atendimento. Ele funciona através de algumas sessões onde o processo é aplicado, desde a identificação do ponto a ser mudado, passando pela inserção da ideia-chave e indo até a fase de reforço para manutenção do resultado obtido.

Então, se você estava ou ficou interessado/a nessa nova forma de se tornar o que você quer ser, é só entrar em contato comigo. Em breve farei outros posts aqui no blog sobre esse assunto.

Feliz Ano Novo de muitas possibilidades!

Elinaudo Barbosa

sábado, 23 de dezembro de 2017

Minha retrospectiva 2017

Na vidada de 2016 pra 2017 eu fiz um post aqui no blog falando das minhas resoluções para o novo ano. Agora é hora de compartilhar com você um pouco da minha retrospectiva, falando do que consegui cumprir das minhas intenções e o que de novo surgiu nesse ano complexo que está terminando.

Uma coisa posso dizer: eu sorri bastante!

O ano dos quadrinhos... não-publicados

Pra começar, os quadrinhos. Eu havia decidido me dedicar o máximo possível ao projeto de fazer e publicar histórias dos meus super-heróis, cheguei mesmo a dizer que seria o ano dos quadrinhos. Mas como ainda é um projeto tocado meio como um hobby, tive de dividir bastante o tempo com outros compromissos, de modo que só lancei duas páginas inéditas do Doutor do Tempo no início do ano, embora tenha escrito e desenhado muito mais do que isso, só que todas as HQs estão em finalização e só estarão prontas nos primeiros meses do novo ano. Assim sendo, 2017 foi o ano dos quadrinhos, só que dos quadrinhos não-publicados.

O bom é que já entro 2018 com bastante material produzido e com HQs sendo publicadas logo nos primeiros meses do ano, como você pode ver na lista de lançamentos da EB Comics.

Passei o ano desenhando, começo o novo publicando!

Mais uma passagem pelo Sinergia e minha estreia no Youtube

Em 2016 tive um período bem movimentado no Instituto Sinergia Social, ONG da qual sou associado e que atua buscando fortalecer outras organizações da sociedade civil. Em abril deste ano voltei para mais um período de atuação no Sinergia, desta vez para ajudar a tocar o Somos Mobilizadorxs, projeto que consistia na realização de campanhas de crowdfunding para captar recursos para projetos sociais de ONGs parceiras. Participei da gestão do projeto de abril a julho e foi uma correria só, com muitas reuniões, negociações com parceiros, eventos, produção de material para as redes sociais e vídeos para o Youtube.

Um dos vários encontros que tivemos no Instituto Poliglota. Nesse eu gravei o meu segundo vídeo para o Canal Sinergia (foto: Juliana Siqueira).

Pois é, finalmente fui para o vídeo

Já fazia tempo que eu namorava a ideia de gravar vídeos, mas acabava deixando pra depois. Porém, quando entrei no projeto Somos Mobilizadorxs, do Sinergia Social, vi que havia uma necessidade de produzir material para divulgar o projeto e seus vários parceiros, então aproveitei a ocasião e propus a criação de um canal da ONG no Youtube, sendo eu o apresentador. Em abril mesmo começamos a gravar e publicar os vídeos de cobertura e entre junho e julho fiz até algumas lives.

Voluntários do Sinergia: quem são? Onde vivem? O que comem? Hoje no Elinaudo Repórter.

E falando em coisa que não deu tempo de publicar...

Nem tudo que foi produzido para o Canal Sinergia foi possível ser publicado. É o caso das entrevistas que gravei com parceiros e que nunca foram pro ar por falta de pessoal para fazer a edição e finalização. Algumas coberturas acabaram ficando em arquivo pelo mesmo motivo. Gravar muitas vezes é a parte mais simples de um vídeo, que ainda vai demandar bastante trabalho e recursos para sua finalização. Devido a esses recursos limitados ainda não foi dessa vez que estreei como entrevistador. Ano que vem quem sabe! :)

Muita coisa gravada ficou tomando água de coco na ilha de edição (foto: Juliana Siqueira).

Outro projeto que comecei e não tive como continuar em 2017 foi o vídeo-documentário do professor Cândido Pinheiro. Tivemos algumas reuniões, iniciamos o planejamento, mas não houve tempo hábil para realizar as gravações. É um projeto mais complexo e requer uma dedicação de tempo bem maior para produzir e editar. Quero retomá-lo logo que o ano começar.

Em 2017 fiquei barbudo, sorridente...

Como falei em um post esses dias nas minhas redes, 2017 foi o ano quem que mudei do cavanhaque que usava há anos para a barba completa, variando de tamanho ao longo dos meses até me definir por um estilo mais aparadinho no final do ano. Já tinha experimentado deixar a barba algumas vezes, mas nunca gostava. Este ano deixei, gostei e pretendo continuar barbudo daqui pra frente.

A retrospectiva da barba: ainda de cavanhaque em janeiro, de barbona em junho e com barba aparadinha no final do ano

Além da barba, outras coisas foram mudando no meu visual. Uma delas foi o cabelo, que agora está aos cuidados da amiga e parceira Patrícia Coelho, que tem deixado ele bem mais bonito e estiloso. Outra é meu sorriso novo e branquinho, resultado de um excelente tratamento que fiz na Clínica da Karolyna Borges, parceira do Sinergia no Somos Mobilizadorxs e que acabou sendo também uma parceira minha no período em que passei por lá. A ela e sua equipe tenho um agradecimento especial: graças à atenção e ao cuidado que recebi na Clínica Lourinho, finalmente perdi o medo de ir ao dentista e agora poderei cuidar do meu sorriso com muito mais tranquilidade. :D

Antes da dra. Karolyna eu tinha receio até de ver alguém com esses paramentos que ela está usando nessa foto.

...e magro

E por fim, uma mudança que eu mesmo fiz em mim: termino o ano 12 quilos mais magro graças a algo que eu venho chamando de autorreprogramação, um processo que descobri intuitivamente quando comecei a meditar na adolescência que já me ajudou a mudar a forma como respiro, a corrigir minha coluna, e agora a finalmente conseguir emagrecer do jeito que eu queria: sem dietas sofridas e sem ter que me matar na academia.

Depois de mais esse resultado obtido pela reprogramação, coloquei nos meus planos de ano novo sistematizar o processo para poder ensiná-lo a outras pessoas que também queiram fazer mudanças em suas vidas.

E finalmente encerrei o ciclo do ambientalismo

Como falei no último post aqui no blog, em novembro foi dada baixa formal no Instituto Brasil Verde, ONG que idealizei e fundei junto com amigos nos anos 1990 e através da qual atuei de forma significativa no movimento ambientalista de Fortaleza e do Ceará. Começamos ainda na escola secundária, pesquisando o rio Maranguapinho, depois atuamos com educação ambiental na região do Grande Bom Jardim e por fim nos inserimos no movimento ambiental da cidade e do Estado através das jornadas pelas áreas verdes. Foi um longo e importante ciclo que resisti muito em encerrar, razão pela qual protelei a desconstituição formal do IBV. Mas me senti muito bem por finalmente encerrar tudo.

Não se preocupem, não pretendo ficar tão magro quanto eu era nessa época :)
(foto: Galba Nogueira)

Foi também um ano em que me desliguei do ativismo político. Durante os últimos anos, mesmo que mais no virtual, tentei contribuir com o debate político, mas diante de todo esse acirramento e polarização acabei vendo que não há espaço para muita coisa racional. Ou talvez eu tenha simplesmente me cansado. Foram mais de duas décadas de ativismo social e político, muitas vezes deixando de lado meus próprios interesses e até necessidades materiais.

É exatamente desse lado material que estou cuidando agora. Vou continuar contribuindo para um mundo melhor porque isso é da minha natureza, mas de uma forma bem diferente. Como venho dizendo em meus textos, é possível contribuir com o social e ganhar dinheiro com isso. É tempo de semear e promover a abundância para todos, a começar por mim mesmo.

Falando em dinheiro...

Ano passado eu resolvi parar com meus textos sobre dinheiro, abundância e Lei da Atração, com planos de escrever um livro sobre isso. Não deu tempo e já sei que não disporei desse tempo nos próximos meses, então vou voltar a postar nas minhas redes sociais como vinha fazendo antes, tanto aqui no blog quanto no facebook e no instagram. Além de não ter tempo agora para parar e escrever um livro, estive analisando a audiência das minhas redes sociais e observei que os posts dessa temática foram os mais visitados e lidos.

E como tenho muita coisa boa pra compartilhar nessa área, vamos dar ao povo o que o povo quer!

Quem quer dinheiro?

E otras cositas mas... Mas isso é assunto para o próximo post. :D

Agora é hora de agradecer

2017 foi um ano difícil para muita gente, mas para mim o saldo foi positivo. Sou muito grato pelas oportunidades que surgiram, pelas coisas boas que minha sorte me trouxe, pelos desafios que pude vencer,  pelas amizades e parcerias que ganhei e pelas boas perspectivas que este ano deixa para o próximo.

Gratidão por 2017 e que venha 2018!


Elinaudo Barbosa

segunda-feira, 20 de novembro de 2017

O ambientalista que virou quadrinista

Na semana que passou tivemos a desconstituição formal do Instituto Brasil Verde, encerrando um importante ciclo da minha vida. Coincidentemente foi a semana de aniversário da EB Comics, iniciativa que marca, acredito eu, um importante novo ciclo que iniciei há dois anos e que será tão ou mais longo que o anterior.

O Elinaudo Raiz era ambientalista e vivia na rua atuando pela causa, já o Elinaudo Nutella só fica em casa fazendo quadrinhos e desenha a si mesmo na rua :D

O contato com o tema ecologia e a pesquisa do rio Siqueira/Maranguapinho

Comecei a me interessar pela causa ambiental nos idos de 1993, quando tive contato com alguns membros do Centro Cultural Rio Cine (atual CIMA), ONG carioca que havia sido contratada pelo Governo do Ceará para executar a parte de educação ambiental do Projeto Sanear. Fui convidado como representante comunitário para participar de algumas reuniões e acabei me interessando muito pelo tema e participando ativamente do projeto.

Nessa mesma época eu alimentava o sonho de levar um grande projeto que pudesse ser bem colocado na Feira Estadual de Ciências, que era realizada anualmente no antigo Centro de Convenções com projetos tanto de escolas públicas quanto privadas. A chance de uma escola pública da periferia ganhar era mínima, por falta de condições de elaborar projetos competitivos. Mas, animado com a temática ambiental, convidei alguns colegas e, com a ajuda do pessoal do Rio Cine, realizamos nosso grande projeto de ciências, a Pesquisa do Rio Maranguapinho. E, claro, não posso deixa de ressaltar aqui a importante atuação da professora Eunice Godoy, nossa militante das ciências, que todo ano levava as equipes da Escola Júlia Alves para participar da feira.

Parte do nosso grupo de pesquisa: eu, Roberto César, Chicão,e Nazaré, recebendo informações do técnico da estação de tratamento de Maracanaú

Depois de meses de pesquisas, visitas a diversos pontos do rio, da nascente à foz conseguimos levar para a feira um dos estandes mais interessantes da competição, com painel de fotos, vídeo, maquete gigante do rio (que eu fiz de argila e precisava de 4 homens pra carregar), resultados de amostras de água, amostras de plantas, enfim, tudo que se tinha direito. E ganhamos! fomos os vencedores da categoria biologia (a mais próxima que tinha do tema ecologia).

Simone, eu (que na época pesava 49 kg) e Léa com nossas camisetas de expositores e nossas calças "santropeito"

O Instituto Brasil Verde

Ainda durante a pesquisa do Maranguapinho começamos a pensar na ideia de fundar uma ONG ambiental, que fomos amadurecendo concomitantemente e demos o nome de Grupo Ecológico Brasil Verde. Após a pesquisa e o ano letivo (era meu último ano na escola secundária) começamos a atuar na região do Grande Bom Jardim, realizando eventos e participando de articulações locais, sempre buscando levar a temática ambiental para as discussões comunitárias. Só na virada dos 90 para os 2000 viemos a formalizar a ONG, que agora se chamava Instituto Brasil Verde e já tinha um nome e certa importância na área do GBJ. Depois fomos gradualmente expandindo a nossa área geográfica de atuação, até que alcançamos todo o município de Fortaleza e um pouco do Estado do Ceará com a realização das Jornadas das Áreas Verdes, ação que marcou os últimos anos de atividades do Instituto Brasil Verde e ajudou a deixar a marca da ONG na história da luta ambiental cearense.

Foto "oficial" do encerramento da primeira Jornada pelas Áreas Verdes, em 2007, na minha época de cabeludo

Em 2008, após a realização da segunda Jornada, encerramos nossa atuação institucional, mas mantivemos ainda o registro formal — em grande parte por insistência minha, pois eu ainda guardava a esperança de um dia voltar à ativa. Como isso não aconteceu ao longo de quase dez anos, resolvemos finalmente dar baixa no CNPJ e encerrar formalmente a instituição.

Mesmo com uma atuação marcada pelo voluntariado — nunca buscamos nenhuma linha de financiamento — conseguimos fazer a diferença na questão ambiental em Fortaleza. No Grande Bom Jardim ajudamos a levar o pensamento ambiental para muitos estudantes e moradores. Na cidade de Fortaleza, a iniciativa das jornadas pelas áreas verdes ajudou a construir e fortalecer a unidade no movimento em defesa dos parques e hoje temos como resultado vários parques oficializados.

Além disso, através do portal na internet Ecologia Online conseguimos um alcance ainda maior, mantendo contato e participando de redes nacionais onde se debatiam temas como educação ambiental, biomas brasileiros e políticas ambientais.

O fim de um ciclo e o começo de outro

Mesmo com o encerramento das atividades institucionais do Brasil Verde em 2008 eu ainda continuei pelos anos seguintes a participar de algumas ações na área de meio ambiente, só deixando de militar nessa área bem recentemente, de modo que o meu "ciclo verde" durou cerca de uns vinte anos.

Participando do ato de oficialização do parque Lagoa da Viúva - Pulmão Verde do Siqueira, em novembro de 2015

O interessante é que quando me voltei para a área ambiental eu estava meio que abandonando um anseio um pouco mais antigo, o de desenhar quadrinhos de super-heróis. Após criar vários personagens, alguns em co-criação com o Erivando Costa, cheguei à conclusão de que eu nunca teria  paciência para desenhar histórias em quadrinhos, pois o processo era repetitivo demais (principalmente naquela época, onde tudo tinha que ser feito diretamente no papel).

Agora, após me desligar da militância ambiental, voltei à ideia dos quadrinhos de heróis e fiz as pazes com a repetitividade do processo de produção das HQs, especialmente depois que dominei as ferramentas digitais.

O ciclo mudou e o ambiente também. Agora estou sempre em casa, rodeado de gatos, desenhando quadrinhos

O lançamento da EB Comics em 2015 e o tanto que tenho estudado e procurado me aperfeiçoar nos quadrinhos me trazem a certeza de que esse novo ciclo que começou há pouco vai durar tanto ou mais que o anterior. E se lá eu consegui fundar uma ONG e deixar uma marca na história do ambientalismo cearense, aqui eu quero fundar uma editora e construir uma marca nos quadrinhos brasileiros.

Então senta que vai ter história!

Elinaudo Barbosa

domingo, 12 de novembro de 2017

2 anos de EB Comics

Nesta segunda, 13 de novembro, completam dois anos que publiquei a primeira história em quadrinhos de uma personagem criada por mim, a Gata Púrpura. Lançada de maneira independente e apenas em formato digital, a revistinha de apenas 12 páginas marca o início da realização de um sonho que trago comigo desde a época de adolescência, o de produzir quadrinhos dos meus próprios super-heróis. Agora, após alguns adiamentos e muito estudo para aperfeiçoar o traço, aproveito a semana de aniversário para falar do futuro da EB Comics e seus super-heróis e super-heroínas e também para contar um pouco da minha história com os quadrinhos.

Gata Púrpura lendo sua própria HQ. Será que ela gostou?

Aproveitando os contratempos para estudar e aperfeiçoar o traço

Quando lancei a primeira revista no final de 2015 tinha o plano de já entrar 2016 com novas publicações, continuando a história da Gata e apresentando outros personagens do meu universo, mas uma agenda profissional intensa e problemas de saúde em família me fizeram adiar os planos de novas HQs. 2017 começou menos conturbado, mas um problema no computador me fez perder várias páginas já finalizadas e os planos de novas revistas tiveram que ser adiados novamente.

Aí resolvi aproveitar todo esse tempo de contratempos para estudar bastante, pois queria tanto melhorar o meu traço quanto aperfeiçoar todo o processo de produção das histórias e das revistas. Estudei mais sobre roteiro, aprendi a usar melhor as ferramentas digitais de desenho e colorização e venho desenvolvendo meu próprio método de produção, aperfeiçoando e simplificando processos. E, claro, agora faço back-up de tudo! O resultado desse tempo estudando já aparece nas HQs que estou produzindo agora.  Embora eu ainda não esteja no nível que considero satisfatório (sim, sou muito exigente comigo mesmo!), houve uma evolução, como podemos ver na imagem abaixo, mostrando uma das páginas que perdi e a mesma página que acabo de refazer.

À esquerda a versão feita no início do ano e ao lado a página finalizada agora. Melhora na diagramação, arte-final e cores. Eu chego lá! :)


Também aproveitei esse tempo para pensar o selo EB Comics, que pretendo no futuro transformar numa editora profissional, e nos títulos. Mudei o nome da revista carro-chefe de EB Comics pra Universo EB e decidi pela publicação de títulos próprios de duas personagens, a Gata Púrpura e a Brasiliana.

Revendo o calendário de publicações

E como pensar profissionalmente significa trocar a ansiedade pela paciência, decidi esperar o ano novo para começar a publicar as histórias que estou fazendo no momento (como eu disse no post passado, se a DC pode adiar eu também posso!) Portanto Brasiliana #1, Gata Púrpura #1 e Universo EB #2 começam a sair a partir de janeiro, seguidas de suas continuações no decorrer do ano. Ao longo da semana divulgarei informações mais detalhadas sobre o que está sendo produzido e na segunda, dia 20, apresentarei o calendário de lançamentos EB Comics para os primeiros meses de 2018.

Para saber de tudo, fique de olho nas redes sociais da EB Comics:

Blog EB Comics - ebcomics.blogspot.com

Páginas no Facebook
EB Comics - www.facebook.com/EBComics
Gata Púrpura - www.facebook.com/GataPurpuraOficial
Doutor do Tempo - www.facebook.com/DoutorDoTempo
Brasiliana - www.facebook.com/BrasilianaHeroina

EB Comics no Instagram - www.instagram.com/universoebcomics

Curta, siga, compartilhe. E fique de olho mesmo, pois vai ter novidades!

Elinaudo Barbosa